Startup de Curitiba é selecionada em programa do Instituto Serrapilheira

A GoGenetic é a primeira startup a receber incentivo do Instituto para desenvolver pesquisa em ciência fundamental.

Diminuir a fertilização química na agricultura, esse será o objetivo da pesquisa proposta pela cientista, e uma das fundadoras da GoGenetic, Vânia Pankievicz, selecionada para receber incentivo do Instituto Serrapilheira. Considerado um dos processos mais rigorosos do país, até o momento, nenhum projeto ligado à empresa (startup) havia sido selecionado para o programa.

Criada pelo documentarista João Moreira Sales e sua mulher, a linguista Branca Vianna, a Serrapilheira é a primeira instituição privada a investir em pesquisa e ciência no Brasil.

Contexto:

Aumentar a produção de alimento sem aumentar o uso da terra é um dos grandes desafios da atualidade. Para potencializar as áreas de cultivos são utilizados aditivos químicos que ajudam no desenvolvimento de plantações. No entanto, ao longo do tempo, esses aditivos se mostraram tóxicos tanto para o solo quanto para o consumo humano. Uma das alternativas é o uso de aditivos biológicos, como os inoculantes, já bastante difundidos em culturas de soja.

Os inoculantes são produtos a base de bactérias que interagem com as raízes das plantas e ajudam a captar o nitrogênio do ar, colaborando significativamente para o crescimento da planta. Esse é um formato mais sustentável de fertilização de lavoura.

Projeto GoGenetic

A GoGenetic, com a coordenação da pesquisadora Vânia Pankievicz, vai buscar entender como as plantas utilizam as bactérias para captarem o nitrogênio do ar e se beneficiarem dele como um fertilizante natural.

O projeto vai até a mata atlântica, ambiente em que as plantas se desenvolvem em abundância, sem nenhum tipo de incentivo, para entender se há interação das plantas com a bactérias e de que forma elas fazem a captação do nitrogênio.

A pesquisa também vai observar o ecossistema em plantações orgânicas e em culturas tradicionais, onde os aditivos químicos são utilizados. O objetivo é entender as diferenças de interação, bactérias e desenvolvimento de culturas.

Para isso, será observado o Nitrogênio 15 (15N), uma espécie de nitrogênio naturalmente marcado, que necessariamente precisa passar por uma bactéria para interagir com a planta.

Benefício

Mesmo tratando de uma pesquisa básica, para entendimento das relações entre a diversidade de bactérias, plantas e ambientes, o resultado dessa observação pode colaborar, futuramente, para uma agricultura mais sustentável.

A GoGenetic embarca nesta nova jornada regada a grandes desafios e muito comprometimento científico. O projeto terá o investimento de R$ 100 mil no primeiro ano, e se selecionado para a segunda fase, recebe o aporte de R$ 1 milhão para a conclusão da pesquisa.