Fungos, o desafio da detecção

Como a biologia molecular está transformando a análise de fungos desde a agricultura até a industrialização de alimentos.

Saber se há contaminação por fungos em uma produção é uma busca constante para as equipes de controle de qualidade nas indústrias. Presente em praticamente todos os ambientes, o microrganismo afeta de forma direta e silenciosa qualquer tipo de produção.

Na agricultura ele afeta toda a cadeia, desde as sementes, no solo até o armazenamento da produção. Na pecuária, da mesma forma, eles estão em todo o processo, iniciando pelos insumos até o produto final. Assim também impactam de forma geral na industrialização de alimentos.

Todos esses ambientes têm em comum o desafio da detecção, isso porque a análise de fungo é complexa, seu cultivo é demorado e as variações morfológicas dificultam a identificação. E é aí que entra a biologia molecular para descomplicar esse cenário.

Detecção molecular de fungos

O avanço das técnicas moleculares proporcionou a viabilidade de sua aplicação em diferentes ambientes, o que até pouco tempo estava voltado para a saúde humana, agora facilita a vida da indústria.

A detecção de fungos, que pelo método clássico necessita de muitos dias de cultivo, agora pode ser feito em horas por metodologias genéticas.

RT PCR

O RT PCR, mesma técnica utilizada para detectar a COVID-19, pode também detectar a presença de fungos em um produto ou ambiente. É uma técnica molecular simples e rápida, em menos de cinco horas é possível saber se há ou não a presença do microrganismo na amostra. Essa resposta rápida muda toda a dinâmica da produção.

Fungos do bem

Há ainda as produções que utilizam os benefícios desses microrganismos, pois muitos deles podem ajudar lavouras no combate de pragas, funcionando como biocontrole ou ainda na produção de fermentação natural, para produtos como kefir, Kombucha e levain. Também nesses casos a detecção rápida pode transformar a produção.

Como implantar a tecnologia

Existem duas formas de lançar mão dessa inovação na produção, a escolha vai depender do volume de amostras e do fator tempo. ela pode acontecer dentro da própria indústria ou utilizar laboratórios terceirizados. 

Na indústria

É possível que essas análises sejam feitas dentro da própria indústria. Para isso é necessário que se tenha uma estrutura laboratorial básica e que se invista em tecnologia. É preciso ter o aparelho de RT PCR disponível. Existem modelos de implantação com comodato, que pode facilitar o processo. Essa alternativa é indicada para um volume grande de amostras e para as produções em que o fator tempo é determinante.

Análises externas

É possível também contar com prestadores de serviço que entregam bons resultados nesse sentido. Se o volume não é tão grande, criar um projeto de logística para o envio de amostras para laboratórios terceirizados pode ser uma boa estratégia. Garantimos que ainda será mais rápido e confiável que pelo metodologia clássica.

Nossas soluções

A GoGenetic trabalha nos dois formatos e auxilia indústrias a tomarem a melhor decisão. Nós possuímos modelos de negócio com KITs para detecção na própria indústria, o produto desenvolvido por nossos cientistas detecta a presença ou ausência do fungo.

Ainda trabalhamos de forma customizada, caso o cliente necessite um alvo específico, podemos desenvolver uma metodologia para esse fim.

Já no mercado

Além da detecção de fungo spp, desenvolvemos análises específicas para Pochonia, Paecylomices, que são microrganismos que agem como biocontrole na detecção de pragas na agricultura.

Prestação de serviço

Realizamos todas essas análises em nosso laboratório em Curitiba, caso a prestação de serviço seja a melhor opção para a indústria.

Conclusão

A GoGenetic está à disposição para colaborar com as empresas nessa evolução e na implantação da inovação no processo produtivo. Se fungo é um desafio em sua indústria, entre em contato conosco.